A curiosa planta beijo - Por Gustaaf Winters

As referências mais antigas de beijos foram esculpidas por volta de 2.500 a.C. nas paredes dos templos de Khajuraho, na Índia. De lá para cá muitas curiosidades foram descobertas sobre o beijo. Li outro dia que um beijo ‘caliente’ movimenta 29 músculos e libera 26 calorias. Ou seja: para eliminar as calorias de um Big Mac, você teria que beijar 46 vezes. Que academia que nada!

A “boca”, é o órgão que não pode faltar quando se fala de beijo. A não ser quando é usada nas expressões: “boca do estômago”, “boca de urna”, etc... Mas, já ouviram falar que existe uma planta que tem boca? Uma amiga viu e numa viagem que ela fez à Costa Rica me disse: “Me encantei com uma planta que tinha beiço... boca!

Planta não fala e nem anda, entretanto desenvolve cada instrumento para se relacionar calada que chega a impressionar até aqueles que acham que planta só dá trabalho!
Estamos falando da “Planta Beijo”, cientificamente conhecida pelo nome de Psychotria elata (pronuncia-se psicótria elata). Ao vê-la dá vontade de beijá-la, né? Que convida, convida! Parece até que ela usou botox nos lábios de tão beiçuda. Chegados mesmo nesses beições são as borboletas e beija-flores. Não nesse momento em que ela quer beijar, mas quando ela solta da boca pequenas flores brancas e tubulares - sim, pois os beições são apenas folhas modificadas (brácteas) - e depois das flores polinizadas aparecem frutinhos azuis, também disputadas por pássaros.


Psychotria elata "planta beijo"                 Flores

Mas como toda beleza esconde um segredo, a “planta beijo” contém a dimetiltriptamina química. Talvez seja por esse motivo que ela também é denominada lá fora de “Hooker’s lips”, como se quisesse mandar um recado: “pode beijar mas não comer as brácteas”. O DMT é o mesmo princípio ativo da Ayahuasca usada no Santo Daime. Muitas outras plantas, inclusive nativas, que o leitor nem imagina tem esse “trem psicodélico”. Dizem que não é uma droga que vicia. Vai saber?

Bom, deixando a loucura de lado, a “planta Beijo” é um arbustão da família das Rubiáceas muito bem descrita no blog “jardineiro net” da nossa amiga Raquel Patro. O Gênero Psychotria é generoso em espécies: perto de 2000.

Não é fácil cultivar a “planta beijo”, ela é super tropical. Nasce nos sub-bosques da América Central e do Sul, como a Colômbia e Equador. Mas, se o interessado conseguir um clima semelhante, terá sucesso em seu cultivo. Ela precisa de solo vegetal (proveniente da decomposição das folhas e gravetos) e uma vermiculita para ajudar na drenagem. Humidade acima dos 80% e temperatura oscilando entre 27 a 32º C. Numa estufa climatizada seria com mais facilidade.

Frutos                                                      Psychotria elata "planta beijo"  


FICHA TÉCNICA

  • Nome científico: Psychotria elata
  • Nome popular: Planta beijo, Hooker’s lips, Hot lips, Lábios quentes.
  • Origem: Todos os países da América Central e Equador, Colômbia.
  • Família: Rubiaceae
  • Porte: De 0,60 a 1,80 m.
  • Crescimento: Moderado. Leva cerca de 1 anos para começar a florir.
  • Folhas: Longo lanceoladas com nervuras afundadas.
  • Flores: Tubulares, brancas, pentâmeras em meio a brácteas vermelhas em forma de lábios de uma boca.
  • Solo: Para cultivá-las é melhor optar por uma mistura de vermiculita, casca de pinus, turfa, carvão e brita.
  • Clima: Tropical Equatorial
  • Reprodução: Por meio de sementes. 

Uso: Com se trata de uma espécie em extinção, devido às queimadas das florestas tropicais, qualquer esforço para o cultivo dessa planta se justifica. Na internet existem sites que vendem as suas sementes.

Curiosidade: Detém o princípio ativo DMT – dimetiltriptamina um psicótico semelhante à Serotonina. Presente no rapé, no Ayahuasca (usada nos rituais do Santo Daime) até em árvores brasileiras do gênero Virola.

Onde comprar? Na web você vai encontrar vários sites de fornecedores de sementes. É só digitar o nome científico da planta.