Araçarana: Um arbusto perfumado e útil - Por Gustaaf Winters

Um jardim é resultado de técnicas e desejos do cliente. É Ciência e Arte agregados ao dom criativo do Paisagista. É descobrir os pontos de observação para contemplar os pontos focais. É fazer o jardim florescer em todas as estações do ano, mesmo porque fazê-lo florescer só na primavera é a coisa mais fácil do mundo. Agora, imaginem só: olhar para um jardim 9 meses sem uma florzinha sequer?

Não é só isso! Toda vez que um Paisagista projetar uma planta, seja no papel ou no jardim, além daquilo que ele acha bonito, toda planta tem que ter uma função.

Vamos imaginar o seguinte: em um jardim tem um banco, ou seja, é um ponto de observação. Força o cliente ou o usuário a contemplar o jardim a partir daquele ponto, beleza? Você planta à frente daquele ponto um arbusto que você acha lindo, mas o cliente acha a planta feia e diz: “não tem uma outra”?

Aí é que entra a tal coisa da “função” da planta. E como argumento você responde: Existem várias meu rei! Só que essa planta atrai beija flores, pássaros que vão comer seus frutinhos, você vai sentir o perfume que ela exala! O cenário enriquecerá com a inda e vinda desses visitantes.

Uma dessa plantas que se encaixam nessa situação é a brasileiríssima Rubiácea Tocoyena bullata, popularmente conhecida como “Araçarana”. Nome que vem do Tupi, com o significado de “semelhante ao araçá”.
Pode até não ser o gosto do cliente, mas será que ele não gosta de ver beija-flores e pássaros em ação e ainda ser contemplado com o seu perfume? Ah! Já ia esquecendo... seus frutos são comestíveis e tem sabor de chocolate! "Av", que crime!

Fruto "chocolate" da Tocoyena Bullata
Foto: Colecionador de Frutas 

 

A Tocoyena é um arbustão de 2 a 3 m de altura, de folhas grandes (que podem cair nos invernos mais rigorosos) mas floresce por um longo período (primavera e verão), compensando o período que ela fica "sem roupa".

Por ser nativa do nosso litoral, corre sérios riscos de extinção, conforme Harri Lorenzi. Ôh! dó! Mas após a florada vem os frutinhos com muitas sementinhas, disputado por várias espécies de pássaros. "Bóra" lá passarada! Vocês são os jardineiros que vão garantir a perpetuação da “Araçarana".

Para que a nossa “Araçarana” não dê uma de exibidinha, por aqui, nos restos de Cerrado da região de Holambra, ocorre uma outra Tocoyena: a Tocoyena formosa – que nós chamamos por aqui de “Jenipapinho do Cerrado” que cresce um pouco menos, floresce no verão e frutifica no outono. Agora fiquei na dúvida... Seria a mesma? Tomara que não, né? Bom, dá uma "Googlada" aí, blz?

Tocoyena bullata - Araçarana

Tocoyena do Jardim Botânico de Paulínia
Foto: Martina Winters

 

Araçarana - Flor

Tocoyena do Jardim Botânico de Paulínia
Foto: Martina Winters